Quarta-feira, 13 de Setembro de 2017

Observação de Cetáceos no Arquipélago dos Açores

Observação de Cetáceos no Arquipélago dos Açores

Os Cetáceos são mamíferos marinhos, homeotérmicos (sangue quente), que como todos os demais mamíferos, respiram por pulmões. No caso dos cetáceos a comunicação com o meio externo, para a respiração, é feita através de um espiráculo (ou dois), também chamado, de orifício de respiração.

A fecundação é interna, as crias crescem em placentas e alimentam-se nas glândulas mamárias das fêmeas.

A transição do meio terrestre para o marinho, exigiu, ao longo de milhares de anos, grandes adaptações: forma hidrodinâmica do corpo (arredondada e fusiforme); perda de pêlos e surgimento de uma pele lisa e macia (maior hidrodinamismo); coloração acinzentada; atrofiamento dos membros posteriores, dando lugar a uma barbatana caudal (mais eficiente locomoção em baixo d’água); membros anteriores modificados em barbatanas laterais (atuando como lemes); e barbatana dorsal (elemento estabilizador e regulador da temperatura).

A comunicação é feita, em baixo d’água, através da ecolocalização, com a produção de sons semelhantes a estalos, cliques e assobios. Estes sons são utilizados na localização, alimentação e reprodução.

Os Cetáceos são animais migratórios que se distribuem por todos os oceanos e mares do mundo. Sua estrutura social vai desde indivíduos solitários, a pequenos grupos familiares, até enormes grupos de golfinhos.

No Arquipélago dos Açores, entre espécies residentes e migratórias, comuns ou raras, avistam-se mais de 20 tipos diferentes de cetáceos. O número impressiona e corresponde a um terço do total de espécies existentes.

Embarque connosco nesta aventura e fique a conhecer as espécies de Cetáceos dos Açores!

Escolha no calendário de eventos a data que mais lhe agrada e faça já a sua inscrição online.

partilhar